segunda-feira, 23 de março de 2009

Família é um troço engraçado.
Todo mundo reclama que junto nunca fica e por conta disso resolvem passar um final de semana juntos numa praia distante, numa casa distante de amigos próximos.
Na ida, uma alegria imensurável, incontável e contagiante.
O sobrinho da namorada do enteado é um pouco introspectivo e tem medo se duvidar da própria sombra.
A cunhada leva pra praia um menino que tem medo de mar, mas na saída de casa, podia-se ouvir coisas semelhantes - Ele não dá o menor trabalho, ele é tão quietinho, gracinha, leva sim!
Na chegada a fralda do menino menor, já é motivo de olhares feios e o pai controlando a boca da mãe para não falar com a namorada do enteado que ela é pouco porca e por de mais folgada.
A mãe controla a boca, mas não a cara feia.
A namorada do enteado faz piada e a mãe não ri e dá como resposta - Tô com uma dor de cabeça, e vira as costas.
Já a esta altura dos acontecimentos o discurso muda e a raiva da namorada do enteado, vai para o pobre do menino podre que vai a praia e mesmo tendo medo de mar.
– Ah! para. Moleque fresco, sem infância, ainda bem que o nosso pequeno não terá esse problema... Para que trás? Se não se diverte, ai dela se não ficar com ele, ai dele se der trabalho as elas da família.
O pai ri e bebe o filho, namorado e enteado também.
A filha que escreve também.
A filha do meio que é apaixonada pela enteada, mais do que pelo irmão diz que: Ela é folgada, puta que o pario, mas não fale mal dela, ele apronta demais com ela. E ah! Ele também é folgado.
O sobrinho faz graça e come sem parar
O Tio mais novo também.
Na volta pra casa o casal de namorados, volta mais cedo com a criança deles e a emprestada e fica aquela bagunça na casa distante dos amigos próximos.
- Te vejo lá em cima vovó coruja e acaba por soltar outra piada, que tem como resposta delicada – Tô com cólica e de novo as costas.
Fica todo mundo puto, palavrão já era coisa que saia naturalmente: Caralho! Olha esse banheiro, aqueles filhos da puta poderiam ter puxado a água depois do banho.
Coisas do tipo, coisas piores.
Quando chega o segundo o carro em casa, todos praguejam: Não olho mais o meu neto, que nem neto é...isso é.. apoiado, mãe e mulher.
Toca a campainha duas horas depois : Olha gente o menino chegou!!!
A me dá ele aqui vai, calma deixa ele matar a saudades da vó, né?! Ti coisa mais tilinda do mundo.
Filho, a gente ta pensando em voltar pra praia no próximo feriado, pra passar mais tempo a família toda junta...é bom, pro menino é pra gente.
Claro, vou falar com a namorada e vamos todos.
Ótimo, fala pra ela levar o sobrinho dela, tão bonzinho.

5 comentários:

Juliana Martinez de Almeida disse...

Adorei!.. saudades de vc ana!

Andrea disse...

uhauhauahuahuah
mtuuu boa a descriçao de sua familia..
ainda bem que a minha familia nao tah inclusa no pacote...!!!!



ti amoooo

Mike disse...

Família ehhhh
Familía ahhhh,
Família.

É sempre assim.

Andrea disse...

Na verdade família é tudo, não conseguimos viver sem eles, imagine só, você sozinha neste mundão de meu Deus, não teria graça nenhuma.Mas, concordo com o MIKE, família EHHHHH,
família AHHHHHHHHHH,FAMÍLIA.
Muito bom esse texto sobre a família..
Abraços

dmi.s.k disse...

kkkkkk
mt bom pior q bem por ai as coisas msm xD