terça-feira, 21 de setembro de 2010

Surto mudo

E quando você percebe que todo o respeito que só você achou que tinham por você é mentira?
O que fazer?
Chorar, descabelar, tentar recuperar...
Será que algum dia o ``respeito´´ existiu?
Ou foi só o controle camuflado com ele?
Qual o procedimento quando o amor daquela fotografia velha e manchada já não deixa nem sinal?
E se tudo acontece e você percebe que no fundo te podaram.
Você se desespera?
Fugir é a resposta que me caberia, se me permitisse ser.
Eu não posso me permitir ser!
Me adequar? Ganhar na loteria? Escapar?
Não me venha com a velha história da carochinha de que só dói quando é verdade.
Acho que dói mais quando desconfiam de você, e você nem desconfia de quem desconfiaria.
Agora, me diz o que fazer?
Tentar, arriscar, fugir?
E se não der certo?
Você tentou? Eu tentei? Não!
Um maço de cigarros é tão pouco para isso.
Cigarro deixa centrado?
Bebida eu já nem ligo.
E quando acham que liga, você liga?
No fundo eu acho que eu ligo.
Ligam pra você hoje em dia?
Os de ontem acho que nem sabem o meu número.
E os de hoje? E os da amanhã?
É bom? É ruim? É romântico?
A família aceita seus amigos?
E quando eles fazem parte do seu ser?
Serei eu uma mãe assim?
Talvez sim, mas acho que não...
Descabelar desencadeia uma situação em cadeia?
E a cadeira?
Você já não pode deixar ela no lugar
Da última vez fui parar perto do mar...
... Ah!, o mar...
Os Santos e Orixás podem ajudar?
Podem, claro que podem... será que querem?
Será que o problema é tão grande assim pra eu recorrer eles mais uma vez?
Ganhar na tele sena não seria má idéia ...
E aquele livro salvo no seu Descktop, será que é bom?
Ás vezes as dúvidas são mais sonoras que as respostas
E quando uma se quer resposta não vem?
O que fazer?
Juro que não sei
Vou ou fico?
Fico ou vou?
Voo...
Entre o que fui e o que vou, ou talvez para o que jamais serei....
A ajuda vem de uma música, livro, amigo... de mim...?
Terra dada não se abre a boca?
E quando pensar em frutas te acalma?

Está desesperador achar um fim.
Quando penso em encerrar, vem mais dúvidas no ar...
... e o ar se fosse pago, eu morreria ou financiaria?
Quem casa quer casa?
Eu não caso, mas quero casa no caso.

Para de pensar cabeça e chega de sonhar coração e deite o seu corpo no colchão...

Quando não tem jeito e mudam sua vida, você aproveita a deixa? resenha?
E se não pudesse? E se desse?
Cesse coração...

Respeite seu respeito próprio...
....e durma...


A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê


3 comentários:

Juliana Martinez de Almeida disse...

vai passar, sempre passa....

Ana Carolina Pires disse...

já passou...
(:

Fernando Thadeu disse...

Acabei de montar minha padaria!!! Vc vem me visitar?....bjs mininalinda!!! sds